Por que relacionamentos são complicados?

Todo bate-papo de solteiros uma hora entrará no polêmico assuntos dos relacionamentos. No último mês houve mais lenha ao tema com os artigos sobre “mulheres independentes” e “mulheres chatas”. O grande erro do debate – e não dos artigos – foi focar numa antiga e desnecessária guerra dos sexos.

Além deste foco numa suposta guerra dos sexos, o assunto sobre relacionamentos sempre recai sobre a qualidade das pessoas e sobre como o nosso momento histórico é marcado por relacionamentos frágeis e descartáveis.

Gostaria de falar sobre mais alguns pontos, que considero importantes ao debate.

1. Guerra dos sexos

Em primeiro lugar, relacionamento não é guerra. Por que relacionamentos são complicados? Porque você tem encarado seus relacionamentos como disputas. Relacionamento não é um jogo no qual há vencedor e perdedor (pelo menos não deveria ser). O exemplo mais comum disto é comparar o relacionamento com esportes. Um casal não está numa partida de tênis. O casal está num jogo de frescobol. Ninguém vence com o erro do outro, mas o erro do outro é contrabalançeado com o esforço em manter a bola em jogo, apesar de um passe fraco ou forte demais.

Homens e mulheres são diferentes. Se você gosta do outro, precisa entender um pouco de uma natureza que não é a sua. Precisa entender também que dizer frases como “todo homem é isto ou aquilo” e “toda mulher deseja isto ou aquilo” são de um coletivismo imbecil. Há, obviamente, muito em comum entre todos os homens, mas cada um deles é um ser dotado de história e estrutura psicológica individual. Ao final, a única guerra que existirá será entre você e seus preconceitos.

2. Técnicas de conquista

Relacionamentos são complicados porque você tem caído em técnicas de conquista. Peço desculpas ao galanteadores de plantão, mas vou dizer algumas verdades.

Para as Mulheres:

Homens costumam utilizar uma técnica para atrair a sua atenção. Eles te fazem um elogio seguido de uma reprovação. Elogiam o seu cabelo e falam mal da sua roupa. Elogiam a sua aparência e criticam a sua bebida. (Os exemplos são infinitos). Ao fazerem isto, os homens despertam em você uma raiva. “Como assim ele me elogia e me critica ao mesmo tempo?”. “Quem ele acha que é pra falar isso pra mim?”. Se você fizer uma dessas perguntas irá automaticamente atrás deste homem, pois quer limpar a sua imagem. Que melhor forma de limpar a imagem do que se mostrar uma pessoa cheia de qualidades e fazê-lo se interessar por você? A mulher pensa que conquistou, mas foi exatamente o oposto que ocorreu.

“Mas e o cara que eu conheci acidentalmente numa fila ou no mercado que não me criticou?”. Preste atenção em como conheceu o homem. Psicologicamente estamos mais propensos a fazer um favor a alguém por quem já fizemos um favor. Neste sentido, os homens adoram pedir dicas sobre o que comprar. Ao ajudar o homem com a sua “pergunta” você se torna mais fácil a cair na lábia dele. É o velho truque de pedir o isqueiro emprestado. Funciona. Portanto, o carinha conhecido acidentalmente pode não ser o homem que apareceu na sua vida, mas apenas alguém pouco comprometido com relacionamentos sérios.

Para os Homens:

Não é muito difícil conquistar um homem quando o desejo é apenas para uma noite. Se for este o interesse, a mulher irá usar obviamente o fator roupa. Se o seu interesse for em algo a mais, preste atenção se você não está caindo no truque do visual.

A mulher que estava te olhando e desviou o olhar quando você a olhou não necessariamente é tímida. Ela faz isto exatamente com o intuito de que você vá até ela e ache que foi você que a conquistou.

Além disto, as mulheres usam o poder único de conquistar com o toque. Um beijo e um abraço mais prolongado, um toque sutil no braço, o beliscão etc. Sem que você perceba estará atraído.

Muitas vezes relacionamentos se iniciam por causa da investida de uma dessas técnicas da arte de sedução. Não vai demorar muito para que alguém perceba que a atração não vem de dentro. O final da história a maioria conhece.

3. Amor

Relacionamentos são complicados pois se entende muito pouco o que seja o amor.

Amar traz a idéia de relação. É uma relação entre o sujeito que ama e o objeto amado. Assim, o amor é o que mantém esta relação existente entre um sujeito e um objeto. Tal relação, entretanto, não significa que o amor é uma mera relação vetorial unidimensional de alguém para algo. Amor não é um sentimento ou uma abstração. Amor é o esforço deliberado para atingir a finalidade de manter o vínculo entre sujeito-objeto. Constitui-se num conjunto de ações racionais que permitem que o desejo pelo objeto possa manter-se enquanto desejo, apesar das circunstâncias.

As pessoas dizem muito facilmente o “eu te amo”, mas esquecem que amar é o engajar-se totalmente para manter o vínculo. É por este motivo que relacionamentos começam e terminam tão rapidamente. Deseja-se o outro. Possui-se o outro. Mas não há esforço em manter o desejo. Um desejo consumado torna-se rapidamente um desejo por outro objeto.

As pessoas querem se relacionar, mas não querem a responsabilidade de amar realmente. Se iludem com um amor de mentira e passam a imaginar que não há mais amor.

Portanto, saiba o que é amar, não caia na conversa alheia e fuja dos relacionamentos conflituosos. Entenda que o amor começa com o amor próprio, mas precisa de uma boa pitada de amor ao outro. E o mais importante: não peça suco natural e nem use crocs.

Anúncios