A moralidade na formação em filosofia

É certo que há uma moralidade presente no modo como determinada cultura se constrói. A formação em filosofia carrega implícita uma moralidade, talvez necessária para a sua realização, porém extremamente danosa na construção dos sujeitos morais filosóficos.

As graduações em filosofia concentram-se no pensamento elaborado, crítico, argumentativo e genial da enorme pluralidade de autores que a história da filosofia nos legou. Essa história, obviamente, é a história do pensamento, seja ético, político, ontológico, lógico, estético, metafísico, científico, religioso, antropológico, sociológico, axiomático etc.

Na história do pensamento estão em questão os conceitos, definições, argumentos, ideias e aforismos. Não há na filosofia espaço para discutir pormenores como, por exemplo, quem afinal de contas levou Fedro para a cama. Foi Lísias ou Sócrates? Discutir a sexualidade dos gregos não muda o que os árabes guardaram de seus escritos.

Muitas ciências consideram primordial esta análise. A história e a psicologia alimentam-se destes detalhes para constituir outro tipo de análise. As ideias, para estas ciências, são uma construção que passa pelos determinantes históricos e psicológicos. O modo de ser e viver de uma época aliado ao modo de perceber-se no mundo e interagir com este mundo é que dão a forma original ao pensamento de um autor. São as múltiplas experiências que permitem tanta pluralidade no mundo das ideias, o mundo das ideias filosóficas e não o mundo platônico.

A singularidade da filosofia está na afirmação de que o importante é a obra e não a vida do autor. O abandono dos filhos não é mais importante do que os livros que Rousseau escreveu. A Crítica da Razão Pura de Kant é certamente mais importante que o fato dele ser extremamente pontual. A homossexualidade de Foucault não está acima de suas contribuições à discussão sobre o poder.

É óbvia a existência de predileções por determinadas temáticas por conta de um percurso existencial, de experiências e de determinantes históricos. A questão é observar que no debate ideológico estas particularidades não irão contribuir para o seu enriquecimento. Assim pensa-se na formação em filosofia.

Para evitar que os debates caiam num julgamento do autor, ao invés de num apontamento sobre falhas na argumentação do mesmo, há o sempre solicitado ad hominem. Esse argumento contra o homem é uma falha argumentativa e a filosofia está certa em recusá-lo. Se a pontualidade de Kant é uma característica boa ou ruim, tal fato em nada irá decidir se suas ideias são válidas ou não.

Contudo, aqui se mostra um enorme perigo moral para a formação em filosofia. Os neófitos nos cursos de filosofia estão aprendendo uma moralidade. Há presente a ideia de que toda ação é permitida àquele que produz conhecimento. Não importa se você agride outras pessoas, se é conhecido pela enorme quantidade de mentiras que conta, se apoia atrocidades de terceiros ou se defende qualquer outro ponto passível de discussão no campo da moralidade; basta escrever alguns livros e ter alguns leitores para que tudo seja anulado em nome das ideias.

Uma investigação um pouco mais aprofundada poderia colocar nessa moral da formação em filosofia o fator de ascensão de ideias relativistas. Foi o relativizar a vida, o modo de estar no mundo, ao longo dos séculos que abriu caminho para a relativização das ideias. Talvez a filosofia chegue, se já não chegou, no tempo no qual nem a vida e nem a obra serão importantes. Seria a época do monólogo.

Anúncios

7 comentários sobre “A moralidade na formação em filosofia

  1. Boa reflexão no texto, apontando a importância de fixarmos na obra e não em por menores, já tão bem ‘trabalhados’ nos ‘BBBs’ da vida!
    Porém, como sabiamente colocaste: tudo têm um limite e jamais um belo texto pode ser amenizador de um ato criminoso. Essa parte ficou bem clara e muito sugestiva a diversas reflexões. Por ora, faço um pequeno adendo na questão da comunicação humana.
    Estamos numa época de monólogos, apesar das mais diversas formas de comunicação: presencial, virtual, enfim(… ).A desonestidade reina, pois muitos preferem evitar o debate e usam a falta de tempo como desculpa, porém vivem ruminando as mesmas ideias e mesmo diversificadas, para cada ruminante, temos um sábio, pronto a nos dar uma fórmula milagrosa, para as mazelas mundanas!

      1. A compreensão do outro, começa com a compreensão plena de si, pois é importante termos uma certa nitidez no ser. E aqui, reduzirei os ‘tipos linguísticos’ para uma compreensão universal: Pô, ou você aprende dando cabeçada atrás de cabeçada, ou busque a filosofia como um ber viver. Com isso entenderá a si e aos demais, que possuem o mesmo sangue vermelho, correndo em suas veias!

      2. Essa intersubjetividade deveria, pelo menos, não ser apenas no nível intelectual, penso eu. Ela se dá também no contraste entre os modos de ser no mundo. A filosofia também é vida, como era para os antigos gregos. Que vivamos e que vivamos bem. Penso ser por aí a caminhada, ou o ocaso…

  2. É um texto que dá o que pensar. Penso sobretudo nos gregos quando o pensamento abstrato não estava desvinculado da prática, mas também em filósofos contemporâneos. São os comentadores que frequentemente negam a relação da vida e do pensamento; os próprios filósofos parecem compartilhar de tua opinião, Felipe.

    1. Por mais que seja possível, fazer uma leitura “internalista” das obras dos Filósofos, se faz necessário também uma abordagem “externalista” sobre o daseins filosófico no mundo.

    2. Por mais que seja possível separar, fazendo tecnicamente, uma abordagem “internalista” das obras dos Filósofos, se faz necessário também fazer uma abordagem “externalista” sobre a relação dos “Daseins” filosóficos, no mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s