Músico é processado por cantar contra deputados

De acordo com o Zero Hora, o música Tonho Crocco está sendo processado pelo rap Gangue da Matriz. A música é um protesto contra o aumento em 73% do salário que os deputados gaúchos deram para si mesmos.

Na letra da música, ele fala o nome de todos os deputados que votaram o aumento abusivo de R$ 11.564,76 para R$ 20.042,34. O processo está encabeçado pelo deputado Giovani Cherini (PDT), que era o presidente da Assembleia na época do aumento.

Ouça a música:

Em seu site, Crocco publicou um manifesto. Entre as perguntas que ele fez, gostaria de responder algumas:

 

Não seria esta ação uma forma de censura à liberdade de expressão?

R: Não existe meia liberdade. Num país onde somos sempre tratados como escravos, achar que há alguma liberdade é ingenuidade. A única liberdade que existe é a de expressar amizade e juras de servidão ao governo.

Não estaria o excelentíssimo Deputado ou a quem ele representou agindo de forma truculenta?

R: O poder político só se dá de forma truculenta. Políticos se acham nobres fazedores de melhorias para o povo. Mas é muito fácil ser caridoso com o dinheiro alheio.

Estaríamos retrocedendo aos tempos da ditadura?

R: Sempre houve os ditames do governo. Não há retorno, há o mesmo.

Será mesmo que estamos numa democracia?

R: Sinto informar, mas a democracia é o sistema que colocou essas pessoas lá. É preciso que a democracia seja mais do que 51% mandando nos outros 49%. A única forma de garantir a liberdade de expressão é com a redução drástica do poder do governo. Dar poder a um grupo que detenha a força de permitir a expressão livre é também dar poder para que retirem tal liberdade.

Anúncios